Publicado por: kiqsantana | janeiro 5, 2010

Foo Fighters – Greatest Hits

Foo Fighters

Foo Fighters

Foo Fighters… depois de 15 anos completados da banda, um álbum que resume uma carreira de sucesso foi lançado em Setembro. Greatest Hits, a coletânea da banda, contém as principais singles e algumas novas músicas, como “Wheels” e “Word Forward“, que são músicas que resumem o sentimento atual da banda sobre tudo o que já passaram nesses últimos 15 anos.

Dave Grohl, ex-baterista do Nirvana, não acreditava que a banda chegaria onde chegou. Completar 15 anos de sucesso não é para qualquer um. Dave não acreditava nem que a banda se formaria, nem que ele daria a volta por cima. Mas ele conseguiu. Superou a morte do seu ex-amigo e ex-companheiro de Nirvana, Kurt Cobain e construiu uma excelente banda. Dave decide formar a banda, depois de acontecimentos inesperados. Faz sucesso numa “gravação de brincadeira” e logo depois dos tais acontecimentos, muitas gravadores se interessam pelo seu trabalho. Ele decide então largar os drums, e assumir os vocais e a guitarra. Foram recrutados para os demais instrumentos Pat Smear, ex-guitarrista do Nirvana (não era membro oficial), Nate Mendel para o baixo e William Smith para a bateria. Essa foi a primeira formação do Foo Fighters.

Com essa formação, foi lançado o primeiro álbum em 1995, o “Foo Fighters”. Esse álbum contém dois dos singles presentes no Greatest List, as músicas “This Is A Call” e “Big Me“.

Foo Fighters - Primeira Formação (1995)

Depois desse período, foram trocados alguns membros da banda. O primeiro a sair foi William Smith, baterista, que não conseguia ter bom relacionamento com Dave Grohl. Para seu lugar, foi chamado o ex-baterista de turnê da Alanis Morissete, Taylor Hawkins. Na minha opinião, Taylor é muito mais baterista que William. Ele tem mais feeling e se encaixa mais com a musicalidade do Foo Fighters. Dois anos depois, Pat Smear decide sair e para o lugar dele entra Chris Shiflett. Os dois novos membros também assumiram os backing vocals.

Passam anos, grandes álbuns são lançados, grandes músicas são anunciadas, grandes turnês são realizadas e maior o é reconhecimento do Foo Fighters no mundo. A banda cria grandes álbuns como “The Colour and the Shape”, “There Is Nothing Left to Lose”, “One by One”, “In Your Honor”, “Skin and Bones”    e “Echoes, Silence, Patience & Grace”. Álbuns de excelente qualidade musical, com Dave evoluindo de maneira fantástica nos vocais, tanto no lado agressivo, quanto no lado delicado.

Foo Fighters - Formação Atual (foto de 2005)

Dave se tornou um vocalista incomum. Ele possui grande facilidade em alternar vocais mais pesados, para os mais leves. Em algumas músicas ele canta com grande agressividade, de maneira diferente, e em outras, ele canta com maior suavidade e de maneira comum. Isso faz seu vocal ser bem diversificado. “Dave é um grande vocalista, além de ser bom em muitos instrumentos. Esse é o diferencial desse menino, que além de tudo é um bom rapaz”, disse Lemmy Killmster, do Motorhead, depois de trabalharem juntos no Probot, um dos trabalhos paralelos de Dave.

Vocal de Dave

E além do bom vocal, Dave é um dos músicos mais versáteis em atividade no mundo. Ele ainda destrói na bateria, tocando com o Them Crooked Vultures (outro projeto pararelo dele com Jonh Paul Jones do Led Zeppelin e com Josh Homme do Queens Of The Stone Age), toca guitarra e bem, no Foo Fighters, além de ser bom violonista, pianista e baixista. Em todos os instrumentos que toca ele tem destaque e esse é um dos diferenciais de Dave. O maior show da banda, foi em Wembley, maior estádio da Inglaterra. Dave, em 2007, tocou junto com seus ídolos Jimmy Page e Jonh Paul Jones do Led Zeppelin. Eles entoaram grandes canções que Dave jamais se esquecerá. Como ele mesmo disse ao público, no começo de sua apresentação “Bem-vindos ao melhor dia da minha vida!”

Foo Fighters em Wembley

Greatest Hits

As músicas presentes no “Greatest List” mostram um Foo Fighters inovador, construindo música de maneira diferente, simples, mas especiais. Com riffs rápidos, feeling e agressividade, o Foo Fighters cria músicas como “All My Life”, “Monkey Wrench” e “The Pretender”. Músicas as quais, se apresentam com um grande espírito do rock n’ roll. Mas com riffs mais lentos, menor feeling e maior suavidade nos vocais, a mesma banda cria músicas como “Times Like These”, “Wheels” e “Learn To Fly”. A banda tem poder de alternância musical muito grande. As músicas, sendo pesadas ou não, elas não deixam de ser ótimas músicas. A suavidade, ou a agressividade, dão identidade ao Foo Fighters e essa é a música que Dave gosta de expressar, pois ele é um cara que transborda boa música.
As demais músicas presentes no álbum são “Best Of You”, “Everlong”, “My Hero”, “Big Me”, “Breakout”, “Long Road To Ruin”, “This Is A Call”, “Skin And Bones” e “Word Forward”.

Em “Best Of You”, Dave faz um desabafo. Desabafa sobre a vida, sobre coisas materiais, coisas sentimentais, coisas que acontecem ou aconteceram no decorrer de sua vida. Essa música é uma das mais famosas, pois no seu lançamento, houve grande repercussão nas rádios.

“Everlong” é, sem dúvidas, o maior sucesso do Foo Fighters. Sua composição é sobrenatural e sua melodia é fantástica. A música é forte, com elevada sonoridade. É uma grande escolha para quem gosta de ouvir boa música. Essa música já foi elogiada por lendas como Bob Dylan, Jonh Paul Jones, do Led Zeppelin e Lemmy Kilmister, do Motörhead. É uma das músicas presentes na lista no 100 Best Songs of Rock de todos os tempos, do canal VH1. Ocupa a 28ª posição, na frente de grandes músicas como “My Generation” do The Who, “Hot For Teacher” do Van Halen, “Stone Cold Crazy” do Queen e de “Born To Be Wild” do Steppenwolf. Nela percebe-se uma música fantástica, com um bom riff e boa desenvoltura nos drums, além de um vocal excelente.

“My Hero” é uma música que Dave compôs em homenagem ás pessoas importantes que passaram em sua vida. Pessoas como Joe, seu melhor amigo de infância, sua mãe, seus companheiros de Foo Fighters, sua filha e várias outras pessoas, que Dave considera herói. Dave mostra um lado mais sentimental nessa música, que tem um vocal mais calmo, melodia forte e um riff excelente. Essa música é a minha música favorita.

Já em “Big Me” fica a curiosa história dos Mentos. A banda acabara de lançar o seu segundo single, e via algumas empresas interessadas na sua música. Uma delas era a empresa das balas Mentos, que queria a música em uma de suas propagandas na TV. Dave então aceita a proposta e grava junto com sua banda, para a propaganda, que vira sucesso. A música é calminha, analisada por Dave como a mais “bonitinha” da banda. A música é tranquila, batida muito leve, riff suave e vocal mais suave ainda. É uma boa música para se relaxar. E logo depois de todo esse sucesso com a propaganda, o Foo Fighters pára de tocar “Big Me” em seus shows. Motivo: toda vez que eles tocavam a música, eles eram banhados por Mentos. Era 1996, e o Foo Fighters parara de tocar tal música. Até que 10 anos depois, muito tempo se passou, os fãs mudaram e cresceram e então Dave pensou que não haveria problema em tocar “Big Me” novamente, mas… novamente ele é atacado por Mentos. Dave então clama aos fãs, pedindo para eles pararem de atacá-los com Mentos e que no final do mesmo show, ele faria um ritual de finalização queimando um pacote. Ficou de acordo, e no fim do show, Dave colocou a mão em um bolso, nada. Colocou a mão no outro, nada. Até que ele pede ao público um isqueiro. Resultado, Dave é atacado por isqueiros. Ele ainda teve a gentileza de queimar a embalagem, mas saiu furioso do show. Essa, para mim, é uma das histórias mais engraçadas do Foo Fighters. Recomendo a vocês assistiram ao clipe dessa música, que tem um trecho da propaganda.

Propaganda dos Mentos

Agora você, leitor, deve estar se perguntando sobre a minha pergunta sobre as demais músicas. Eu aconselho vocês, a baixarem o “Greatest Hits” e tomarem suas próprias conclusões sobre o álbum. E não baixem só esse álbum, baixem outros também que o Foo Fighters também tem muitas outras excelentes músicas. Espero que todos os leitores fiquem de acordo com minha humilde opinião, sobre as músicas e, como um todo, o álbum.

Espero que tenham gostado dessa não tão pequena história e também espero que gostem da banda.

Carlos Henrique

Anúncios

Responses

  1. Muito bom cara


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: